sábado, 25 de fevereiro de 2012

10 razoes porque todo crente deve falar em outra linguas

Quero citar para você 10 Razões porque todo crente deve falar em outras línguas.


Razão 1 – Línguas é o sinal inicial.

A palavra de Deus ensina que quando estamos cheios do Espírito Santo, falamos em outras línguas conforme o Espírito Santo nos concede que falemos.ë a evidência ou sinal inicial da presença do espírito Santo habitando em nós. Atos 2: 4 Diz: E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem.
Howard Carter, superintendente regional das Assembléias de Deus da Grã-bretanha durante 19 anos,foi o fundador do Instituto Bíblico Pentecostal mais antigo no mundo. Disse que não devemos esquecer de que falar em outras línguas não é apenas a evidência inicial da habitação do Espírito Santo dentro de nós; é uma experiência contínua para o resto da nossa vida.
Com que propósito? Para Ajudar na adoração a Deus. Falar em outras línguas é uma correnteza que flui e que nunca deve secar-se, pois enriquecerá espiritualmente a vida da pessoa. Esse fato é de conformidade com a declaração de Paulo, de que o falar em outras línguas nos edifica.


Razão 2 – As línguas são para a edificação espiritual.


Vemos que Paulo, escrevendo à igreja em coríntios, ordena os coríntios a continuarem sua prática de falar em línguas nos seus cultos e na vida de adoração. Paulo declarou em 1 Coríntios 14: 4: O que fala em língua edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja. Falar ou orar em outras línguas é um meio de edificação espiritual, de reforçar espiritualmente o crente.
1 Coríntios 14: 2 diz: Porque o que fala em língua não fala aos homens, mas a Deus; pois ninguém o entende; porque em espírito fala mistérios. Certa tradução do Novo Testamento diz: “Fala segredos divinos”.
Paulo está dizendo aqui que Deus tem dado `Igreja um meio sobrenatural de comunicação com Ele mesmo. Louvado seja o Senhor! Paulo declarou no v. 14 desse mesmo capítulo: Porque se eu orar em língua, o meu espírito ora, sim, mas o meu entendimento fica infrutífero.
Note que ele disse: O meu espírito ora. A Bíblia Amplificada acrescenta: “o meu espírito [mediante o Espírito Santo dentro de mim] ora. “Jesus disse: Deus é Espírito.” Veja bem: quando você ora em línguas, o seu espírito ora. Quando você ora em línguas , o seu espírito está em contato direto com Deus, que é Espírito, e você está conversando com Ele em linguagem divina e sobrenatural. Louvado seja Deus!
É de estarrecer como pessoas inteligentes podem perguntar, tendo em vista esses textos bíblicos: “Qual é o valor de falar em outras línguas?”.Muitas pessoas me têm feito essa pergunta, apesar de saberem o que as Escrituras ensinam.
Amigo, há valor em falar em outras línguas – um grande valor. Se alguém não consegue ver esse fato, alguma coisa está errada no seu entendimento. Não quero dizer que ele deve perceber isto porque já tem falado em outras línguas. Eu, como pastor batista, comecei a perceber o que a Palavra diz antes mesmo de ter falado em línguas.
Se Deus diz que falar em línguas as tem valor, tem valor mesmo. Se Deus diz que edifica, edifica mesmo. Se Deus diz que é um meio sobrenatural de comunicação com ele mesmo, é mesmo um meio sobrenatural de comunicação com Ele mesmo. Se Deus diz que todo crente deve falar em línguas, então todo crente deve mesmo falar em línguas.
Jesus não disse que apenas uns poucos devem falar em línguas. Ele disse: E estes sinais acompanharão aos que crerem. “Aqueles” está no plural. Significa todos. Um desses sinais é: falarão novas línguas ( Marcos 16:17).

Razão 3 – As línguas nos relembram da presença do espírito que em nós habita.

Falar em outras línguas é uma evidência da habitação do Espírito Santo dentro de nós. Em Atos 10, os seis irmãos judeus que acompanharam Pedro até à casa de Cornélio ficaram atônitos porque o dom do Espírito Santo foi derramado também sobre os gentios. Pensavam que era somente para a igreja judaica.
Como sabiam que os gentios tinham recebido o dom do Espírito Santo? Atos 10:46 diz: porque os ouviam falar línguas e magnificar a Deus. Em outras palavras, tratava-se da evidência sobrenatural ou inicial da presença do Espírito Santo habitando neles.
A prática contínua de falar e de orar em língua ajuda-nos a ter consciência da presença do Espírito. Se eu tiver consciência da presença do Espírito Santo habitando em mim, todos os dias, essa consciência certamente afetará meu modo de viver.
Alguém dirá: “Ora, conheço uma pessoa que foi salva e cheia do Espírito Santo, e ela perde a calma e diz coisas que não deveria dizer.” Eu também conheço. Mas uma coisa posso dizer: Essa pessoa não orou em língua nem ficou em comunhão com Deus naquele dia.
Sei, pela minha própria experi6enciacomo é fácil, quando não estamos conscientes da Sua presença, ficamos aborrecidos e exasperados. Mas se dedicarmos tempo a termos comunhão com ele, a falarmos em línguas e orarmos, poderemos ter consciência da sua presença habitando em nós, e não faremos nem diremos coisas da s quais nos lastimaremos mais tarde.

Razão 4 – Orarem línguas é orar em harmonia com perfeita vontade de Deus.

Orar em línguas impede o egoísmo de entrar em nossas orações. Se eu orar na base do meu próprio pensamento, minhas orações poderão ser antibíblicas e egoístas.
Como freqüência excessiva , nossas orações são semelhantes àquela do velho sitiante: “Deus abençoe mim e à minha esposa, ao meu filho João e à esposa dele: a nós quatro, e a ninguém mais”. ( Não usamos palavras exatamente assim, mas nossa intenção não passa disso).
Paulo disse em romanos 8:26 - porque não sabemos o que havemos de pedir como convém (ARC). Não disse que não sabemos como orar, porque já sabemos orar. Oramos ao Pai em Nome do Senhor Jesus Cristo. Ë assim que oramos.
Mas não é porque sei orar que também sei o que devo pedir em oração. O versículo inteiro diz (ARC): Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis.
P. C. Nelson, fundador do Instituto Bíblico do Sudoeste, era um estudioso da língua grega. Contava aos seus jovens pastorandos que o Grego diz, literalmente: “O Espírito Santo faz intercessão por nós com gemidos que não se podem ser expressados em linguagem articulada” ( linguagem articulada é fala comum, compreensível). Indicava que o texto grego confirma que aí se incluem, não somente os “gemidos”na oração, como também “outras línguas.”
Essa definição concorda com aquilo que Paulo disse em 1 Coríntios 14: 14 - Porque se eu orar em língua, o meu espírito ora, sim, mas o meu entendimento fica infrutífero.
As pessoas devem evitar rir de quem fala em línguas, pois quando este ora em línguas, trata-se de seu espírito orando no Espírito Santo que está dentro dele. Sendo assim, tais zombadores estão rindo do Espírito Santo!
O Espírito Santo dentro de nós concede-nos o que falar; nós o falamos de dentro de nosso espírito. Por esse método, o Espírito Santo nos ajuda a orar segundo a vontade de Deus pela coisas que devem ser pedidas em oração.
O Espírito Santo não geme nem fala em línguas à parte de você. Aqueles gemidos sobem de dentro de você, e brotam dos seus lábios. O Espírito Santo não vai orar no seu lugar. Ele foi enviado para habitar dentro de você. Ele é um ajudador – um intercessor – mas Ele não intercede à parte de você. Ele foi enviado para lhe ajudar a orar, mas Ele não é responsável pala sua vida de oração.
A maneira de Ele nos ajudar a orar é mediante aqueles gemidos que escapam dos nossos lábios. Provêm do nosso espírito, nascido do Espírito Santo. Sendo assim, falar em línguas é oração dirigida pelo Espírito Santo. Elimina a possibilidade de oração egoísta. Muitas vezes, quando as orações das pessoas se baseiam nos seus próprios pensamentos e desejos, recebem coisas que não são realmente segundo a vontade de Deus, e que não são o melhor para elas.
Você não acredita nisso? Então, você não acredita na bíblia! Se o povo de Deus deseja as coisas de determinada maneira, ainda que isto não seja o melhor para elas, nem de conformidade com a vontade de Deus, ele permitirá. Posso comprovar isso para você.
Deus não queria que Israel tivesse um rei. Ele disse isso aos israelitas, mas eles exigiam um rei, e Ele permitiu que eles o tivessem. Não era Sua vontade suprema para eles; não era o melhor que Ele tinha para eles.
Certa vez, orei no espírito durante cerca de duas horas e meia, com um punho colocado em cima do outro. Parecia haver uma força que queria puxar minhas mãos para certo lado. Eu fazia esforço tremendo para endireita os meus punhos, mas invariavelmente voltavam a ser puxados de novo para o lado. Assim aconteceu três vezes.
Então, o Espírito de Deus me disse: “As pessoas, ao orarem de modo errado, puxam as coisas fora do enfoque.” ( Porque não sabemos o que havemos de pedir com convém...) Orando da sua própria maneira, usando seus próprios pensamentos, e de dentro da sua própria mente, puxam as coisas fora do enfoque. Assim o plano de Deus muitas vezes fica fora do enfoque e Sua perfeita vontade não pode ser operada em favor de tais pessoas.
Quando compreendi isso, era uma revelação para mim. Antes, tinha sabido a respeito, em certa medida, mas nunca tinha visto a necessidade de orar em línguas como vi então. Você pode ter certeza disto: Quando você está orando em línguas, você pode manter tudo dentro do enfoque, porque você está orando segundo a vontade de Deus e visando os melhores interesses de todas as pessoas envolvidas.


Razão 5 – Orar em línguas estimula a fé.

Falar em línguas me ajuda aprender a confiar mais plenamente em Deus. Falar em línguas ajuda a minha fé. Não, não me dará fé; mas ajuda minha fé.
Judas 20 diz: Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo... Aí temos prova conclusiva. Orar em línguas ajuda e estimula a minha fé.
Porque o Espírito Santo dirige de modo sobrenatural as palavras que falo em línguas, a fé precisa ser exercitada para fala-las, porque não sei qual virá a ser a palavra seguinte. Confio em Deus quanto a ela. E confiar em Deus em alguma aspecto me ajudará a confiar em Deus em outro aspecto.
Como jovem pastor batista, pastoreei a única igreja na comunidade, de modo que realmente era uma igreja comunitária. Vinham pessoas de todas as denominações.
Fiquei hospedado no lar de um querido casal metodista. A mulher tinha úlceras no estômago, e os médicos achavam que essa condição certamente se transformaria em câncer. Eu sabia que Deus podia cura-la, e que assim Ele queria mas, de algum modo, não consegui leva-la a ter fé até essa altura. Ela comia apenas um pouco de comida de nenê, e leite, e parece que nem sequer aquilo parava no estômago dela.
Certo dia, aconteceu uma coisa maravilhosa: ela recebeu a plenitude do Espírito Santo! Entrei, e via-a desfrutando de alimentos que nunca pudera comer durante sua longa enfermidade.
Já vi pessoas por uma experiência desse tipo. Qual é a conexão? Sabemos que ser batizados no espírito Santo não nos cura, mas falar em outras línguas vai mesmo nos ajudar a confiar mais plenamente em Deus. Quando falamos em outras línguas, somos ajudados a crer em Deus por ainda mais coisas: isto estimula a nossa fé.


Razão 6 – Orar em línguas é um meio de nos manter livres da contaminação.

Falar em línguas é um meio de nos manter livres da contaminação das conversas ímpias, profanas, e grosseiras em nosso redor. Podemos falar em línguas silenciosamente, para nós mesmos.
Independemente de onde você estiver, você poderá fazer conforme manda 1 Coríntios 14:28 - Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus. Se você consegue fazer assim na igreja,conseguirá faze-lo no emprego. Você não perturbará ninguém. Eu já orei silenciosamente, comigo mesmo, muitas vezes no cabeleireiro ou em outros lugares na cidade onde ouvia coisas que não ajudam na vida espiritual.
Não importa onde você está, você pode falar consigo mesmo e com Deus. Assim evitará que fique contaminado com as coisas do mundo.


Razão 7 – Orar em línguas nos capacita a orar por aquilo que nos é desconhecido.


Orar em línguas fornece uma maneira de orar em favor de situações a respeito das quais ninguém sabe nem pensa. O Espírito Santo, por outro lado, tudo sabe,. A Palavra de Deus diz: O mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis. (que não podem ser falados em linguagem articulada). Incluído ai há o falar em línguas.
Dois jovens missionários da Assembléia de Deus saíram da Inglaterra, onde nasceram,e foram à África. Vários anos mais tarde, quando um deles estava em casa, de licença, uma jovem senhora perguntou-lhe se ele tinha mantido um diário. Respondeu que sim.
A jovem contou que, cerca de dois anos antes, ela tinha sido acordada durante a noite, sentido necessidade urgente de orar. Tinha orado em línguas durante cerca de uma hora. Então, teve uma visão de uma palhoça de sapé. Viu um jovem branco; os demais eram indígenas. Ela viu-o morrer. Os indígenas o cobriram, e saíram para fora. De repente, ela o viu sair da palhoça e ficar em pé no meio deles. Todos os indígenas começaram a regozijar-se.
A jovem perguntou ao missionário se ele já tivera um experiência assim. Tinha. Quando seu colega estava em outro território,ele mesmo ficara com febre mortífera. Depois da comparação das datas e de levar em conta as diferenças de fuso horário, o missionário e a jovem descobriram que Lea tinha orado por ele exatamente na hora de sua maior necessidade. O Espírito de Deus tinha providenciado uma maneira de orações serem feitas em favor de uma situação que necessitava a oração, pois o Espírito Santo tudo sabe.
Outro missionário que foi à África, a quem ouvi palestra em várias ocasiões, conta de uma experiência semelhante. Ele e um obreiro indígena alugaram um barco para leva-los a uma ilha para pregar. Na viagem de volta naquela noite, uma tempestade tropical surgiu de repente.
O dono do barco lhes disse que se ficassem em alto mar, o barco viraria e todos seriam afogados, mas que se velejassem perto da praia, bateriam contra os recifes. Perguntou ao missionário o que queria fazer. O missionário respondeu: “O barco é seu. O que é que você deseja fazer? O que você acha que seria melhor?”
O homem disse que preferia arriscar-se com os recifes. O missionário e o obreiro indígena oraram e então disseram: “Tudo bem, vamos então.” Relatou que, quando se aproximaram dos recifes, houve uma repentina sensação de o barco ser levantado e carregado acima do nível do mar.
O missionário disse que ele, o obreiro indígena, e dois ou três incrédulos, inclusive o dono, testemunharam esse evento milagroso. Deus literalmente carregou o barco de velas por cima dos recifes e para as águas seguras.
Na semana seguinte, o missionário estava visitando outra estação missionária, e uma missionária lhe perguntou se tinha passado apuros na noite da segunda-feira anterior, acerca de 22 horas. Ele perguntou por que?.ela explicou que fora deitar cedo naquela noite, porque planeja sair de viagem cedo na manhã seguinte. Mas, às 22 horas, fora acordada com tamanha preocupação espiritual para orar, que tudo que conseguia fazer era orar em línguas e gemer no Espírito.
Ela disse: “ Não sabia de que se tratava, mas fiquei com a impressão de que você passava apuros, e não podia deixar de orar por você.” Ele lhe contou o que estava acontecendo com ele na hora exata em que ela estava orando por ele. Deus seja Louvado! O Espírito sabe.
Em maio de 1956 eu estava viajando na Califórnia com minha família. Naqueles tempos, tínhamos um trailer de três quartos, porque nosso filho e filha adolescentes estavam conosco.
Certa vez, fui acordado no meio da”noite. Parecia que alguém tinha colocado as mãos em mim. Olhei para minha esposa, mas ela estava dormindo profundamente. Tudo estava perfeitamente bem, porém meu coração batia descontroladamente, como se eu estivesse com medo.
Falei: “Senhor, o que estava havendo? Há algo errado em algum lugar. O que é ? Ö Espírito Santo,Tu estás em todos os lugares, e Tu sabes tudo; dá-me, portanto, as palavras para falar.”
Comecei a falar em línguas. Orei durante cerca de uma hora. Então comecei a rir, e a cantar um pouco em línguas. (Quando você ora dessa maneira, sempre continue até receber uma nota de louvor, que significa que você alcançou a vitória no assunto que está tratando com oração. Você ou rirá, sentirá alegria, ou cantará). Eu sabia que, seja qual foi o assunto da minha oração, já fora solucionado, já recebera a resposta. Voltei a dormir , e tive um sonho.
Nesse sonho, vi meu irmão mais jovem num quarto d hotel em Louisiana. ( Ninguém me contara que ele estava em Louisiana, mas eu sabia que ele estava ali). Vi-o acordar-se pouco depois da meia-noite, sentindo-se muito doente. Vi o pessoal chamar um médico. Vi-o sendo levado embora de ambulância. Vi a luz vermelha piscando enquanto o levavam ao hospital.
No sonho, fiquei no corredor do lado de fora do quarto hospitalar dele. A porta estava fechada. Um médico saiu, me deu um aperto de mão, e disse; “Ele está morto. Ele está morto.”
Respondi: “Não, doutor, ele não está morto.”
Ele perguntou: “O que você quer dizer com isso.”
O médico ficou zangando e disse; “Muito bem sabichão, venha comigo, e eu lhe mostrarei que ele está morto. Já dei certidão de óbito a tantas pessoas que sei quando alguém está morto!”
Ele me pegou pelo braço e me conduziu para dentro do quarto onde meu irmão estava. Foi até a cama, e removeu bruscamente o lençol. Quando ele fez assim, os olhos do meu irmão se abriram, e o médico viu que ele estava respirando. O médico começou a gaguejar: “Ora, você sabe algo que eu não sabia. “ele ficou atônito, e repetia sempre: Ele está com vida, não é verdade?”
No meu sonho, vi meu irmão levantar-se da cama,e estava curado. Foi a respeito disso, você percebe, que eu tinha orado.
Em agosto, voltamos para Texas. Exatamente quando acabei de estacionar o trailer, meu irmão aproximou-se de mim. Falou: “Quase morri enquanto você estava de viagem.”
Respondi: “Sim, sei.”
Perguntou se Mamãe me contara. Falei-lhe que eu não falara com ninguém – acabara de chegar de viagem – e que ninguém me escrevera nada.
Ele perguntou, então: “Como você sabia que quase morri?”contei-lhe como ele ficara doente de noite, com todos os pormenores. Ele me garantiu que tudo ocorrera exatamente como eu disse. Falou que tinha ficado inconsciente durante quase 40 Minutos, e que os médicos pensavam que morrera. Chegaram mesmo a declara-lo morto.
Amigos, eu não tinha meio de comunicação no meu trailer- nem mesmo um telefone. Mas louvado seja Deus porque esse é o sistema divino e original de comunicações! Sim, é de acordo com as Escrituras, é bíblico. Todos nós devemos orar em línguas, porque então poderemos orar em favor de coisas a respeito das quais nada sabemos.


Razão 8 – Orar em línguas dá refrigério espiritual.


Isaías 28: 11,12 diz: “Pelo que por lábios gaguejantes e por língua estranha falará o SENHOR a este povo, ao qual disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério; mas não quiseram ouvir.”
Qual é o descanso? Qual é o refrigério? Falar em outras línguas. A palavra de Deus diz: Este é o descanso, daí descanso ao cansado; e este é o refrigério...
As vezes o médico nos manda tirar um período de repouso para o bem as saúde. Ora,posso lhe dizer qual é o melhor repouso terapêutico no mundo inteiro; falar em outras línguas. Você pode aplicar esta cura todos os dias, louvado seja Deus Nesse dias de tumulto, de insegurança, e de perplexidade, precisamos desse repouso e refrigério – e o recebemos por meio de falar em outras línguas.


Razão 9 – Ao orar em línguas, você dá graças com perfeição.


1 Coríntios 15: 15 Que fazer, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.
16 De outra maneira, se tu bendisseres com o espírito, como dirá o amém sobre a tua ação de graças aquele que ocupa o lugar de indouto, visto que não sabe o que dizes?
17 Porque realmente tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado.
Suponha que você me convida para tomar uma refeição com você, e diga: “ Irmão Hagim, dê graças, por favor.”Paulo disse que os indoutos em questões espirituais não seriam edificados se eu orasse em línguas, porque não me entenderiam. Disse, que,nesse caso, seria melhor eu orar com o meu entendimento; mas que se eu orasse mesmo em línguas, eu devia interpretar para saberem o que eu dissera.
Note porém, que Paulo disse que falar em línguas fornece o meio mais perfeito de orar e de dar graças, porque “tu de fato dás bem as graças.”


Razão 10 – Falarem línguas submete a língua à sujeição.


Tiago 3: 8 Diz: mas a língua, nenhum homem a pode domar. É um mal irrefreável; está cheia de peçonha mortal. Submeter nossa língua ao Espírito santo enquanto você fala em outras línguas é o passo grande na direção de entregar plenamente todo o seu corpo a Deus. Se você consegue submeter a sua língua, conseguirá submeter qualquer membro de seu corpo. É assim que as escrituras ensinam.



O lado público das línguas


Tenha consciência de que há um “lado público “das línguas.

Primeiro, as pessoas falam em línguas quando recebem o Espírito Santo em público.( As pessoas em derredor de Pedro e dos 120 ouviram-nos falar em línguas no Dia d Pentecostes).

Segundo, a igreja é edificada quando alguém fala em outras línguas (com interpretação) numa assembléia pública.

Paulo declara nitidamente que profetizar é falar com edificação, exortação e consolação. Disse que maior é aquele que profetiza do que aquele que fala em línguas, a não ser que este interprete ( 1 Co 14:5).

Está dizendo que as línguas com interpretação equivalem à profecia.

Por exemplo: duas moedas de 5 centavos equivalem a uma moeda de 10 centavos, mas sabemos que as duas moedas menores não são idênticas à moeda de 10 centavos. O que Paulo está dizendo é que a profecia é mais valiosa, assim como a moeda maior.

Quero deixar bem claro que o ato de profetizar não é pregação,independente de tudo quanto alguém poso dizer a você. Se a profecia fosse pregação, não teríamos que prepara o que vamos pregar.

Para pregarmos, no entanto, realmente temos de estudar. Paulo nos mandou estudar para demonstramos que somos aprovados diante de Deus. Não precisamos estudar para falar em línguas e para interpretar; nem precisamos estudar para profetizar. Tudo isso vem através da inspiração do Espírito. É lógico que quando alguém prega sob a inspiração do Espírito Santo, e passa repentinamente a dizer coisas sobre as quais não tinha sequer pensado, então, é certo: isso é inspiração, e é um elemento da profecia.

A profecia, portanto,é uma expressão vocal inspiracional e sobrenatural numa língua conhecida que conta o que foi falado ao falar em outras línguas.

A interpretação é linguagem inspiracional e sobrenatural numa língua conhecida que conta o que foi falado ao falar em outras línguas.

As línguas são uma expressão vocal sobrenatural num idioma desconhecido.

Terceiro,quando é usado de conformidade com a Palavra de Deus, o falar em línguas acompanhado pela interpretação convencer o incrédulo quanto à realidade da presença de Deus, e freqüentemente o leva a voltar-se para Deus e ser salvo. Já vi acontecer assim em muitas ocasiões.

Quarto, Jesus disse:
E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados. (Mc16:17-18). Louvado seja Deus!

Naturalmente, você não vai querer somente orações prolongadas em línguas durante o culto, porque em não havendo interpretação, a congregação não vai saber o que está sendo dito, e ela não será edificada. Quando,porém, você vem para uma reunião de oração depois do culto, pode orar em línguas tanto quanto desejar, porque você veio para receber edificação.

Se todos estão erguendo as mãos e orando no culto regular, você tem liberdade para orar em línguas. Quando porém, a congregação cessa de orar, você deve cessar também. ( Saiba usar com o máximo proveito aquilo que você tem).

Muitos dizem que não precisamos ensinar a ninguém falar em línguas, porque é o Espírito Santo quem fala. Não. O Espírito santo não fala. O Espírito santo meramente nos dá as palavras quem – fala somos nós.

No âmbito da igreja, temos uma “linguagem”ou terminologia toda nossa, que confunde a pessoa que acaba de entrar em nosso círculo. Ë possível que saibamos o que pretendemos dizer, e é possível que não; mas confundimos as pessoas. Devemos tomar cuidado com a nossa maneira de ensinar alguém receber o Espírito Santo. Acho melhor voltar à Bíblia e dizer as coisas da maneira como Ela as diz.

Sei que você ouviu alguém dizer: “Ë só deixar o Espírito Santo falar.” Mas não é o Espírito Santo quem pronuncia as palavras – é você quem fala. O Espírito Santo concede a você o que falar; é você quem pronuncia em voz alta.

Realizei uma campanha de reavivamento numa igreja grande, e, depois dos cultos, minha esposa e eu jantávamos fora com o pastor e sua esposa.

Certa noite, a esposa do pastor disse: “Irmão Hagim, não concordo com você.”

Falei a ela que eu sempre acolhia bem alguma ajuda que alguém me oferecesse com aa Palavra de Deus. Quem ensina deve ser receptivo e ter um espírito pronto para aprender; senão, não deve estar ensinando.

Referi-me a estar receptivo à Palavra de Deus, não receptivo às opiniões das pessoas. Devemos pregar a Palavra de Deus, e não opiniões nem convicções. Não perco tempo com aqueles que pensam que sabe tudo quando, na realidade, nada sabem. Eu não sei tudo, mas louvo a Deus por aquilo que sei. A Bíblia diz: 9 porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; ( 1 Co 13:9). (Dou graças a Deus pela parte que conheço).

Perguntei: “A respeito do que você não concorda comigo?”
Ela respondeu: “Discordo com sua declaração de que o Espírito Santo não fala em línguas.”
“ É assim que a Palavra de Deus ensina,“ falei a ela.
Ela disse; “Creio exatamente com a Bíblia disse.”
Perguntei-lhe com a B disse. Ela respondeu: “A Bíblia diz: quando vier, porém, falará por si mesmo.”
Falei: “Eu também acreditaria nisso, se estivesse na Bíblia.”
“Ora, Irmão Hagin, sou pastora ordenada, e sei o que a Bíblia diz! Faz 25 anos que estou pregando assim!”
Contei a ela: “Então, faz 25 anos que você está pregando uma coisa que não é certa.”
Ela disse: “Ouvi isso ser pregado assim, e assim tenho citado durante 25 anos.”
Falei: “Nem por isso é a verdade. Existem muitas coisas que são pregadas e citadas que não a verdade.” Pedi que ela me mostrasse esse ensino na Bíblia. Ela respondeu que não estava com a sua Bíblia, e que teria que procurar aquele texto. Pedi que ela me telefonasse ao achar o texto, pois estávamos hospedados em certo hotel naquela cidade. Ela concordou. Falei que lhe daria $300 se ela achasse aquele texto na Bíblia.

Mais de 20 anos já se passaram, e ela ainda não me telefonou. Por quê? Porque não há nenhum texto na Bíblia que diz; “Quando o Espírito Santo vier, falará por si mesmo.” A maior aproximação dessa declaração que se possa achar na Bíblia é a declaração que Jesus fez em:
João 16:13 Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará [por si mesmo], mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras.

Não, o Espírito Santo não fala em outras línguas. O homem faz a parte de falar, mas o mesmo Espírito Santo dirige sobrenaturalmente.

Atos 2: 4 diz: E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem. Eles começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito concedia a eles que falassem. O Espírito concedeu a eles o que falar, e foram eles que falaram.

A tradução de Weymouth de Atos 2:4 diz que começaram a falar “segundo o espírito lhes deu palavras para pronunciarem.”Outra tradução diz: “Começaram a falar em outras línguas conforme o Espírito os inspirava a falar.”A tradução de Moffatt diz: “começaram a falar em outras línguas conforme o Espírito os capacitava a expressar-se.” Eles (os crentes) estavam falando; o Espírito assim concedia a eles.

Falar em línguas basei-se num ato da vontade humana. O fato de você falar não é sobrenatural. A parte sobrenatural é o que está sendo dito, e qual é a origem disso.

Note que Paulo diz em 1Co 14: 14,15: Porque se eu orar em língua, o meu espírito ora, sim, mas o meu entendimento fica infrutífero.
Que fazer, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.

Se eu perguntar a você: “Você pode ficar e orar na reunião da bênção?” e você responder: “Eu vou ficar e orar,” isso significa que você pode orar com se entendimento,porque você tem dito: “Eu vou.” O crente cheio do Espírito Santo também pode dizer: “Vou orar com o espírito. “ Sua vontade entra na sua decisão de orar com o espírito, tanto quanto entra quando você ora com a mente.Isso é bíblico.

Paulo Diz, também: Dou graças a Deus,porque falo em outras línguas. Ele não disse; “O Espírito Santo fala através de mim.” Você não achará tais expressões em nehuma parte do Novo Testamento. Paulo disse: “Eu falo em Línguas”.
Alguém dirá: “Não quero ficar ‘na carne’ quando recebo o Espírito santo.”Ora, você forçosamente fica na carne quando você recebe o Espírito Santo, pois Pedro disse no dia de Pentecostes:
Mas o que ocorre é o que foi dito por intermédio do profeta Joel: E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos jovens terão visões, e sonharão vossos velhos (Atos2:16,17).
O Espírito Santo é derramado sobre homens e mulheres na carne, adorando a Deus no Espírito, louvado seja Deus!

Kennth Hagim

6 comentários:

  1. A Paz do Senhor meu ilustre... Que a vontade do Eterno continue lhe guiando...
    E que chama da propagação, daquilo que podemos chamar de "orar em outras línguas", continue sendo uma evidencia no nosso meio(nas igrejas)...
    Saudações...Vandoilson Bichi.

    ResponderExcluir
  2. Já li o livro do Kenneth Hagin que trata do assunto e realmente é profundo. Um livro chama-se Línguas e o outro Os Dons do Espírito Santo. E para você que está visitando este blog eu também tenho uma postagem sobre a Oração em Línguas no meu blog "VIDA NO ESPÍRITO". Acesse: http://vidanoespirito.blogspot.com/2008/12/orao-em-lnguas-irmo-pacheco.html

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Pastor. Olhei o seu blog e achei muito bom.
    Posso copiar algum estudo e postar no meu blog e colocar um link direcionando pro seu blog?
    Deus te abençoe Pastor.

    ResponderExcluir
  4. A PAZ DO SENHOR JESUS PASTOR ARISTON JUNIOR! GLORIA AO PAI, AO FILHO E AO ESPIRITO SANTO DE DEUS, MAS GRAÇAS A DEUS QUE NOS DEU A VITÓRIA É POR NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO. AMADO PASTOR, VISITO ESTE ABENÇOADO BLOG POR TÃO RELEVANTE ASSUNTO. O QUE ESPERAR DE UMA POSTAGEM SOBRE O ESPIRITO SANTO? APENAS UM MERGULHO QUE NÃO FAZ JUS A PROFUNDIDADE DO SANTO ESPIRITO. MAS DESCORRENDO PELAS LINHAS DE SEU TEXTO, ME DEPAREI COM ALGO QUE VAI NA CONTRA-MÃO DA SOCIEDADE CRISTÃ. HOJE ABORDAM O ESPIRITO SANTO COMO UMA MANIFESTAÇÃO E O SENHOR ABORDOU AS LINGUAS "DOM" COMO ALGO MAGNIFICO, ESPETACULAR E DE GRANDE VALIA COMO FERRAMENTA NO MUNDO ESPIRITUAL. PARABENS PELO TEXTO E QUE DEUS CONTINUE TE REVELANDO A NECESSIDADE DAS VIDAS. ESTAREMOS SEGUINDO ESTE BLOG APARTIR DE HOJE, POIS, SEI QUE AINDA MAIS ABSORVEREI QUANDO AQUI ENTRAR. FIQUE NA PAZ ME CHAMO ECIO E TENHO UM BLOG COM O NOME "REFLEXOES DO DIA!" CONHECI O SEU ATRAVES DO BLOG "A FORTALEZA". ESPERAMOS UMA VISITA. FIQUE NA PAZ!

    ResponderExcluir